domingo, 17 de dezembro de 2017

Meu trabalho e viagem pro Brasil

Olá amigos,

Pra mim é inacreditável pensar que já estamos a uma semana do natal um dos dias que eu mais gosto. Este ano fechei minha empresa, trabalhei como ajudante de carpinteiro (ano que vem vou me especializar neste trade), e com o fim do ano se aproximando peguei um biscate de meio expediente num restaurante.

Com a passagem comprada a alguns meses, claro que não falei nada pro capataz do local, ou não me dariam o emprego. Esses tempos me sondaram pra um cargo de gerente (eles passam fazendo perguntinhas e fofocando) e eu declinei automaticamente. Quer dizer, ao invés de fazer 400 e poucos euros por 30h semanais fixas vou ganhar 700 e pouco por 50h e um monte de responsabilidades idiotas e horarios rotativos?

Naquele post que eu acabei não postando, ia apontar alguns defeitos de meus colegas mas desisti. Foda-se quem fofoca. Não faça isso, nunca, nem em casa. Porém o pessoal lá tem um defeito comum em organogramas super verticalizados: não sabem o que fazer se algo sai do processo padrão.

Nesse tempo não consegui fazer o mínimo e cair fora. Trabalhei bem pra caralho (também, fazer caixa pelo amor de Deus...) mas tem gente que nem isso consegue, lidar com matemática de primeiro grau e ser cordial são duas habilidades que a massa não domina bem no mundo real. Foquei-me em construir uma reputação profissional pra ter pra onde correr ano que vem. Principalmente fiquei longe de fofocas, assuntos privativos e não me associei a feudos (chances pra isso nunca faltam). Pensava em sair mesmo, afinal empresa nenhuma fica na desvantagem pra um cara em período de experiência. 

Semana passada falei que ia sair a barata voou. Era todo mundo desesperado sem saber o que fazer. Após uns dias de fofoquinhas, me ofereceram uns dias de férias adiantadas (estou a 3 meses lá) ou seja, ao voltar vou ter emprego e se quiser sair apenas trabalho uns dias a mais "de graça". Puxaram meu sacão e disseram que não queriam me perder. Ótimo! É importante ter fluxo de caixa positivo, sempre.

Ao retornar vou cumprir o acordado, mas também procurar algo melhor pois não tenho fidelidade com emprego nenhum. Quero ser pago e não fazer amigos.

Tive mais uma ideia falando com um amigo sobre treinamento físico. Não tem caras fortes por aqui e eu posso tentar atuar em comerciais ou fotos pra lojas de roupas ano que vem. Eu tive um colega de faculdade que vivia disso. Seria mais um hustle e dinheiro no bolso.

Minha viagem ao Brasil também não vai ser uma despesa. Algum negócio imobiliário vai sair disso. Se não for construir algo ou comprar da Caixa, pretendo comprar  alguns terrenos nas vilas afastadas do centro cidade. Meus dois terrenos continuam valorizando a medida que constroem em volta.

Pretendo formar uma carteira de moedas digitais amanhã... Falaremos disso em breve.

Torçam por meus interesses empresariais pois eu torço pelos de vocês.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Se você usa drogas não tem chance

Olá amigos, hoje vou lhes dizer o que penso sobre o uso de drogas.

Esses dias uma colega de escola e amiga de infância minha e da esposa veio falar no WhatsApp que estava fumando maconha, como se fosse um grande evento dos rebeldes fora da lei estressados com o mundo moderno. Achei aquilo tão idiota que fiquei refletindo. 

Não, não vou descrever que drogas são usadas pelo homem desde que os índios tibetanos fizeram o chá de sei lá o quê milênios atrás, que café também é uma droga, e nem falar que a guerra contra o tráfico é o que mata e legalizar acabaria com blá-blá-blá. Que maconha não faz mal, ou que causa esquizofrenia, ou que só causa em quem tem predisposição... Isso tudo é um monte de baboseira que não importa em nada e não devem ser argumentos válidos pra justificar ou não o uso de uma droga. As pessoas usam porque buscam prazeres e deu, independente de algo ser bom ou não pra sociedade ou saúde. 

Quero falar é da fragilidade do indivíduo perante o sistema e os danos que um vício trazem para o bolso e a qualidade de vida no geral.

Hoje em dia não é segredo, quase todo jovem experimenta drogas e está rodeado delas. Conseguir drogas é mais fácil que comprar um livro, então já viu. Uma legião de imbecis perdendo tempo, saúde e dinheiro em prazeres efêmeros. Tudo o que a classe que está no comando espera, pois terá menos concorrência pelo poder.

A midia glamouriza e retrata
Traficantes como caras admiráveis

Nos filmes de Hollywood o uso é sempre estimulado. Sempre tem o maconheiro legal ou o casal que fuma maconha no telhado enquanto discute a relação, e hoje violentos traficantes que no final se dão bem, então fique atento.

No Brasil usam o ethos do jeitinho e malandragem pra manter a população na catarse anticapitalista. Se você não é um favelado carpe diem amigo de esquerdistas drogadinhos está errado.

Na Rússia como vi um cara do governo do Putin dizer no youtube, a população foi vítima de um ataque de estereotipação (espero que esta palavra exista) de alcoolatra. Já vi o General Mad Dog falando sobre isso da Rússia também, e que por isso os russos não estavam prontos pra uma guerra contra os USA. Uma vez quando criança perguntei ao meu pai "porque todo russo era bêbado nos filmes" e meu pai disse que era por causa do frio. Resposta errada, bêbados são bebados porque são otarios e otarios raramente vencem na vida. Quando vejo esses moleques da blogsfera dizendo que sua vida é horrível e no fim de semana vai passar bêbado jogando videogame e escutando músicas deprimentes eu leio PERDEDOR.

Na Irlanda tem o estereótipo do alcoolatra brigão também. Características que influenciam negativamente qualquer jovem.

Não se trata de você "ter cabeça" pra não se deixar prejudicar e consumir alguma droga, ou de algum "pequeno" vício não lhe afetar as finanças  e nem de um ataque à sua liberdade de fazer o que quiser com sua vida. Todo ser humano se acha poderoso e independente a esse ponto.

À parte de terem muitos estudos que mostram que qualquer substância influi na sua saúde, existem estatísticas que se corretamente lidas, expõe que tanto o vício quanto o contato com ambientes de disfunção prejudicam seu sucesso e PONTO. Independente de você ser um super homem individualmente, são uma enorme perda de energia.

Lembre: você não é uma estrela do rock, é apenas um cara comum, e qualquer pisada fora da linha do sucesso é um passo PARA TRÁS. 

Não sou hipócrita pois gosto de apreciar cachaça artesanal e não sou nenhum Capitão América, mas pode saber amigo, se você usa drogas está fodido. Meu irmão se fodeu fortíssimo e alguns amigos da juventude também perderam tempo e energia nisso. As vezes leva à cadeia ou morte. Sempre se perde tempo andando com perdedores, e à perdas materiais.

O que eu concluí neste mundo onde a maioria é perdedora é que nossa amiga não agiu "fora da lei" torrando com orgulho seu baseado, e sim DENTRO DA LEI. Lei do fracasso. Não seja institucionalizado nem um seguidor, seja um líder e não se meta numa roleta onde você tem 99% de chance de perder.

É isso.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Uma mão lava a outra - tenha cuidado com seus amigos

Olá amigos, esses dias li uma matéria da revista Exame que dizia que há um "novo modo" de fazer networking (aqui). Nem preciso dizer que não existe nada de novo em focar no longo prazo e que não transparecer ter interesses sombrios provavelmente vai funcionar melhor do que revelar suas intenções e ir direto aos negócios.

Isso ocorre por um motivo bastante simples. O ser humano é ciumento e mesmo que queira que você prospere, quer no mínimo os louros por ter te ajudado. Então ao invés de fazer business e ir embora de modo objetivo ele estressa a situação e cobra como pedágio ser bajudado seu amigo.

Como animal gregário que não sobrevive sozinho, as pessoas estão sempre te medindo (por isso essas perguntas pessoais como a idade aparece nos comentários) pra que no fim do dia escolha como merecedores de amizade (maior flexibilidade para favores) alguém que se identifica mais. Os que não atendem aos critérios serão ignorados.

Se quiser um exemplo claro disso veja documentários sobre a vida nas prisões americanas, onde desde o momento que o cara entra, começa a ser assediado e testado pra ver se vai se dobrar à alguma gangue.

Não existe esse altruismo proposto pela matéria. Alguém só faz algo pelos outros em busca de algum benefício, nem que seja satisfação pessoal. Leia Ayn Rand. Nós somos seres mafiosos e uma amizade nada mais é que uma relação supostamente despretensiosa que tem como fundo benefícios no longo prazo, e network sempre foi isso.

Veja o exemplo do Roberto Carlos, que "quer ter um milhão de amigos" mas só faz o show da virada por seus grandes amigos, os "dead presidents" (dinheiro).

Leia também:
(a arte de subornar) - post excelente do Burguês Inglório

A amizade é como uma poupança. Você deposita valores que não precisa agora pra retirar quando quiser no futuro. Por que motivo as pessoas preferem pagar mais caro um produto, se ele for vendido por um amigo? Qualquer comerciante sabe disso.

Don Vito Corleone é um personagem que sempre identificava os interesses ocultos das pessoas e lidava diretamente com eles. É a essência dessa negociação, focar na solução e não no problema. A pessoa gritando, gesticulando e falando bobagem é só a casca que transporta seus interesses e suprindo eles você vai obter o que deseja. Tudo é business independente da conotação negativa que a palavra possa ter nesse contexto.

Não é a "amizade" que faz as pessoas terem interesse em você e sim suas habilidades. Uma criança gosta dos pais por eles terem a habilidade de lhe alimentar e prover conforto. Um camarada gosta de você pois seu ouvido provavelmente é um penico pra ele. No momento que você deixa de ter habilidades interessantes, vira notícia velha. Os amigos, namorada e até parentes vão buscar associados melhores. 

Agora a dica de ouro é que você sempre vai precisar de alguém que lhe coloque dentro do esquema, de um trabalho ou promoção e provenha boas oportunidades. Ninguém oferece sociedade pra desconhecidos, por isso simplesmente viver se trata de fazer network e cuidar de sua reputação. Desde a escola secundária se deve ter muito cuidado com quem se diz seu amigo. Esses caras te ajudam a estudar pro vestibular de Engenharia e se importam com seus interesses empresariais,  ou te oferecem um baseado e te fazem gastar dinheiro e perder tempo? Pense nisso.

Já notou como somos moldados pela mídia e escola para sermos bandidinhos, malandros, viciados e consequentemente perdedores? Verdadeiros gangsters não caem nessa história e se mantém nerds caretas engravatados quando saem de casa e postam nas redes sociais. São mestres do teatro porque sabem se beneficiar disso. Esse BULLSHIT que as novelas mostram que os pobres são felizes por ser amigos de todo mundo leva o 90% perdedor a ter menos filtros na escolha de seus associados. 

Cara cumprimenta um ladrão pois ele é seu vizinho, visita a fofoqueira pois ela é simpática, namora a vadia pois ela tem beleza, fica no grupo de WhatsApp de putaria, e etc. Tudo atitude de perdedor.

Observe seus objetivos de longo prazo (5, 10 anos). Seus amigos estão neles? Eu deixei de andar com algumas pessoas pois meu objetivo é ter milhões em patrimônio, e o delas era simplesmente sobreviver e pagar as contas. Continuo gostando delas, mas manter relações destruiria meus planos.

Pessoalmente, nunca tive muitos amigos. No máximo meia dúzia. Sou muito seletivo com as pessoas que me relaciono e minha mulher até me critica por eu ter uma barreira enorme com gente nova e em transformar relações de trabalho em amizades. Isso ocorre porque, sem deixar a educação e cavalheirismo de lado para qualquer pessoa, até porque a poucos anos meus amigos eram TODOS BEM POBRES, considero perda de tempo e energia ir além da cordialidade com pessoas que não obtiveram sucesso. Eu estaria traindo uma regra clara usada pelos ricos (que dominam o capitalismo) de buscar interagir com e ter mentores vencedores.

Isso influencia na minha qualidade de vida (só tenho uma vida pra gastar) e no pão que vou deixar de por na mesa pros meus descendentes.

Parece mesquinho, mas uma empresa não patrocina qualquer atleta ou chama qualquer artista pra uma campanha (o oposto também ocorre). Profissionais do Marketing sabem que a qualidade da imagem dos dois tende a se aproximar, por isso rejeitam propostas milionárias de pessoas com problemas legais por exemplo. Isso não é pra ganhar mais dinheiro, e sim pra sobreviver.

Tenha cuidado com seus amigos.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Jovens devem servir ao Exército Brasileiro?

Olá amigos, mais um post sobre como iniciar a vida profissional.

Tenho alguns posts que falam do EB e um deles é campeão invicto de visualizações, provavelmente pelo enorme mistério que essa etapa da vida carrega. Afinal, se trata de sair da casa dos pais, onde viver é de graça ou se exige pouco em retribuição e cair de paraquedas em uma caserna onde tudo é pago, de um jeito ou de outro, mais ou menos como na tal vida real. Se você servir compreenderá o que eu quero dizer.

Neste post vou tentar ser bastante direto, mas não esqueça que essas são minhas opiniões e podem não refletir sua realidade.

Bem, vamos lá.

Muitos jovens, que estão ali com seus 17 ou 18 anos são seres completamente inúteis. Mal estudam ou já terminaram a porcaria da escola. Se trabalham, não colocam muita grana pra dentro de casa. Desperdiçam tempo demais namorando com fracassadas e se associando com outros trouxas. Não sabem o que fazer da vida, e já não são mais criancinhas que não sabem o resultado de seus atos.

O pior de tudo nessa idade é a enorme propensão a fazer merda e estragar seu futuro tendo um filho, fazendo dívidas, usando drogas, escolhendo uma profissão terrível ou simplesmente perdendo tempo. São verdadeiras bombas relógio.

Você contrataria alguém assim? Eu não e nem a maioria. E é por isso que jovens não arrumam empregos tão fácil hoje em dia: Porque dar um emprego a um jovem é um gesto de amor e o amor já era na sociedade atual. Já que ele não sabe coisas que gerem valor com seu trabalho, nem carcaça tem pra aguentar trabalho duro, pouca gente vai dar emprego pra alguém sem experiência nem habilidades e muito menos vontade de aprender, até porque paga outro salário pro governo. 

Os culpados do filho ser um idiota, caso ele mesmo não seja um retardado, são os pais, escola e a Midia. Os culpados foram quem os educou sem bons valores e extrema disciplina. Mas isso não importa. Nem seus pais, nem a escola nem a Mídia e nem mesmo os políticos, que arquitetaram isso tudo, lhe devem nada. Você não acredita que ter estudado metade da vida e não ser capaz de arrumar um emprego que pague as contas tenha sido planejado por uma gangue engravatada? Sinto muito. 

Essa é a primeira coisa que você tem que saber: você é um idiota, sem nada especial e está sozinho no mundo. Pelo menos nessa idade, você ainda não tem valor algum e só dá prejuízo. Se olhe no espelho se você se acha esperto, dê três tapas na cara pra acordar, amigo. É pra esses que eu acredito que vale sim a pena servir ao Exército Brasileiro. No mínimo você estará em uma instituição respeitável pela primeira vez na vida.

Se esse é seu caso tenho mais uma má notícia: você provavelmente nunca teve um amigo de verdade até hoje. Se seus pais lhe dão tudo de mão beijada eles estão te prejudicando muito. Se te tratam mal, como muitos fazem, também. Amigos de verdade só se importam com seus interesses empresariais. Amigos de verdade querem que você se torne durão pra enfrentar a vida e eventualmente ficar rico. Querem que você vença nos negócios e não tenha pena de si.

O papel do pai na natureza deve ser esse. Preparar os filhotes pra sobreviverem de modo independente. Se tiver que dar uma surra pra que o filho aprenda a se defender de uma surra na rua, hey, pra mim é válido. Infelizmente a maioria dos pais hoje erra muito e forma filhos fracos e eternos dependentes. 

É aqui que entra seu novo melhor amigo, o Sargento. Sargento é o cara responsável por ligar o comando à tropa. Toda a hierarquia do Exército é importante, mas o Sargento é o cara que tem o papel de te mostrar o quão fraco, inútil, preguiçoso, inapto e asqueroso você é, e também o que você é capaz de se tornar. Com esforço seu, ao invés de odiar esse cara você deve ser esperto o suficiente pra aprender que o problema é você mesmo, e mesmo que não seja não adianta culpar os outros por nada.

No Exército soldados executam tarefas simples rotineiramente, e aprendem do zero. Tomar banho em 2 minutos, vestir-se em 45 segundos, comer o que tiver disponível, arrumar a cama, organizar o equipamento, tratar da saúde, manter-se sempre apresentável. Pasmem, dependendo do nível intelectual da turma terão até instrução de como comer com garfo e faca e mastigar de boca fechada. Aposto que você leu isso e achou tudo bobagem, enquanto come tranqueira com sua coluna torta na cadeira do computador. 

O salário do soldado do Efetivo Variável é terrivelmente baixo, mas se você é capaz de um  fazer um salário maior e vai correr atrás, pronto, nem precisa seguir lendo. Não esqueça que o ano de recruta é um curso e você está sendo pago com ensino também.

Assim como o empregado de fast food do post anterior, pagam fardamento. Denovo, para o pobre isso é acertar na loteria. Só quem gasta com roupas pra trabalhar sabe.

Come no quartel. Lembrem que comentei que quando criança pensava: "se esses caras que ganham dinheiro pro lanche poupassem, poderiam comprar uma fita de super Nintendo por mês!". No quartel é igual. O salário é baixo nominalmente, mas você pode guardá-lo todo pois não gasta em comida. Para garotos realmente pobres isso pode fazer a diferença.

Se precisar pode viver no alojamento. A chave pra ficar rico é manter sua exposição financeira baixa. Pense nisso.

Saúde - tem seguro saúde quase total e talvez o melhor do Brasil. Além disso tem que manter a forma. Quase todo quartel tem uma academia rústica com todo o necessário pra ficar com o físico respeitável. Os civis tem mania de achar que o grind físico do quartel é sofrimento e não pode ser transmitido pro mundo civil. Quer dizer, não é bom ai na sua área ter um físico imponente? Não precisa estar em forma pra executar seus hustles? Não precisa ter saúde? Não precisa ter a capacidade de defender seu patrimônio e sua família?

Molda o espírito e o caráter. Sem dúvidas quem quer e não for burro demais pra se associar com as pessoas certas, massifica valores decentes.

Recebe educação moral. Melhor que a que você recebeu na escola provavelmente é. Além disso você vai estar imerso em uma cultura positiva, que valoriza o esforço e despreza a preguiça, fraqueza e indisciplina. Não existe nada melhor que um lugar assim pra um jovem que viva em um ambiente cheio de disfunção e vícios.

Habilidades militares e de sobrevivência. O soldado aprende a usar variados armamentos e equipamentos, e a sobreviver no terreno de modo ardiloso.

No Exército provavelmente o soldado vai aprender um trade. Seja mecânica, construção, gestão, informática... Vai trabalhar em variadas seções e auxiliar em diversos processos diferentes. Alguns trabalham na área jurídica, comunicação social, médica, logística, financeira... Tem um monte de coisas pra fazer por lá. Vai muito do interesse do gajo, e claro, da sorte. O mundo não é totalmente justo. Os soldados do Efetivo Profissional também podem fazer cursos nessas áreas em diversas instituições civis que tem convênio com o exército. Um bom exemplo é o projeto soldado cidadão.

Vai participar de muitas aventuras que pro civil são bastante caras e fazer amigos pro resto da vida.

Nunca vi um militar multimilionário, mas se quiser saber mais sobre como eu vejo oportunidades financeiras no EB leia meu artigo de março de 2015 (os valores estão desatualizados e minhas opiniões podem não refletir sua realidade).

Não gosta de patriotismo, hino, bandeira, e essa coisa toda? Seus amigos esquerdistas falam mal das Forças Armadas? Não importa. A questão é que se você não tem um emprego, precisa de um. Além disso, você não tem que necessariamente gostar da cultura da empresa em que trabalha. Isso é papo furado de RH que tem que achar algum critério pra eliminar machos alfa e contratar puxa-sacos que ficam mais tempo no emprego mal-remunerado.

Se você tem 18 anos e não tem boas perspectivas, está na hora de ficar mais esperto pra por dinheiro no bolso. É com 18 anos que se torna adulto. Não com 25 nem com 33.

Não sei como funciona a seleção, nem me pergunte. Peça informações na junta de serviço militar da sua região.

Os maiores líderes do mundo passaram pelo Exército e não foi por acaso, pois militarismo faz parte da formação do cavalheiro tanto quanto business. Denovo aquilo que eu digo que meus estudos apontam sobre as diferenças dos ricos e pobres. Pobres aprendem sobre democracia. Pessoas poderosas aprendem realpolitik.

Faça como eles e não fique parado. Se tiver a oportunidade de servir um ano que seja, eu acho válido.

Um abraço! 

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Jovens deveriam trabalhar no fast food?

Olá amigos, como viram ficou por ai o título de um post que eu decidi não fazer sobre meus atuais colegas de trabalho. Postei sem querer e ia editar mas decidi não postar pois não estou aqui pra falar coisas óbvias e negativas.

Semana passada passou na TV uma espécie de maratona de Undercover Boss e outros programas de business, e no UB geralmente são de empresas de fast food, depois passou um de O Sócio (The Profit) com a mesma temática em um restaurante desse tipo porém de comidas naturais. Acabei assistindo quase meia dúzia. 

Aliás O Sócio é mesmo um excelente programa que ensina conceitos importantes de capitalismo. Conceitos que a algumas décadas, segundo meus estudos pessoais, estão ficando cada vez mais restritos aos ricos (aos pobres só socialismo). Vejo neste programa a diferença entre um típico empregado brasileiro que considera capitalismo "a ética de acumular e ostentar dinheiro" e do americano que sabe que uma empresa e empregados precisam gerar valor para o cliente, ter a contabilidade saudável e tudo tem custo. Se você não conhece este programa assista alguns episódios.

Neste último que assisti gostei muito de ver uma reunião de qualidade com os empregados, onde falaram das cotas que cada shareholder da empresa tinha. Na hora pensei, em uma sociedade assim, a pessoa comum sabe que pode trabalhar e acumular fatias cada vez maiores de empresas, que lhe trarão lucro. Nunca tinha visto um patrão falando de shares com os empregados. Isso simplesmente abre a cabeça do peão, que pensa: "vou juntar x associados e abrir MEU PRÓPRIO balde de frituras, ou oficina mecânica, escritório ou o que for, ao invés de ser empregado desse babaca pra sempre já que nunca poderei abrir uma empresa sozinho.

O objetivo é por PAPEL NO BOLSO e não simplesmente "escalar" vagarosamente a escada das promoções  que darão 50 reais líquidos a mais no salário.

No Brasil o pensamento comum é de que existe uma classe rica que é capaz de abrir um negócio sozinho, e a classe dos proletários que trabalha (a mídia os chama de "trabalhadores"), e talvez após juntar 100% do salário, após 30 anos quem sabe abre o seu. Triste! Essa é a mentalidade anticapitalista em um ambiente anticapitalista. 

Nestes programas vemos empresas venderem ações para investidores, desde a ideia seminal onde as ações são vendidas para amigos e parentes até a venda de cotas para grandes investidores quando a companhia gera lucro ou tem potencial disso. Isso é capitalismo puro. No Brasil vemos empresas quebrarem ou pararem de crescer por não existir essa mentalidade.

Voltando ao tópico, no Undercover Boss e também no Kitchen Nightmares do cheff Gordon Ramsey (este bem mais crítico com a gerência) são mostradas habilidades que podem ser aprendidas por qualquer jovem e depois replicadas em outros modelos de negócio. Como é escroto ver jovens pagando caro (geralmenre fazem isso porque os pais pagam) por cursos de gestão ou administração que só ensinam abobrinha, podendo aprender o básico (de verdade) num joint de hambúrguer. Sei disso porque estudei essas coisas e o conteúdo está todo de graça em livros e na Internet.

O restaurante que estou trabalhando part-time fica em um shopping e vi todo tipo de esquisito trabalhando nos fast foods nestes quase 3 meses (aliás daqui a uns dias me demito pra viajar ao Brasil). O que observei de mais interessante foi que esses ambientes oferecem uma espécie de "seleção natural" com esteroides. Diferente do emprego que um formado em curso superior normalmente arruma no Brasil (mesmo ganhando sua merreca) o turnover dos fastfoods é altíssimo. Os menos eficientes são descartados rápido e os esforçados escalam no meio dependendo de sua dedicação e aprendizado, afinal não parecem ambientes que alguém se mantenha por política ou títulos.

Vou listar alguns motivos pelos quais acredito que esse tipo de trabalho é bom pra jovens:

- empregam quase qualquer pessoa saudável, inclusive gente feia. Isso é ótimo se você nunca teve uma experiência profissional.
- dão uniforme. Poderia escrever um livro sobre como isso é bom pra pobres pois tive dois empregos onde usei uniformes.
- empregam jovens que ainda estão em idade escolar. Da pra aprender mais coisas, antes de seus concorrentes no mercado, que é o que todos que você conhece realmente são.
- não precisa ter experiência.
- tem que aprender a lidar com clientes de todas as idades que te veem como inferior. Na vida é importante desenvolver uma autoestima inabalável e só se faz isso levando martelada.
- lidar com muitos colegas e realmente trabalhar em equipe. Só assim você adquire "feeling" sobre o profissionalismo e eficiência de alguém, muitas vezes só de olhar pra pessoa.
- tem que aprender a fazer caixa, mexer com grana e visualizar metas de venda como objetivo do negócio. Infelizmente muitos negócios não te dão a noção de que servir o cliente e VENDER são o verdadeiro objetivo. Nunca entendi a lógica de recomendar que jovens trabalhem em ONGs ao invés de "subempregos" pra ganhar experiência.
- conviver com a possibilidade de perder o emprego da noite pro dia. Isso é muito importante pra desenvolver a mente de caçador que nunca é pego desprevenido. Cara que não aceita que o mundo é muitas vezes injusto não tem chance.
- aprende que um negócio é gerido através de variados processos e não por gerentes sábios iluminados. Assim se aprende que você é capaz de aprender qualquer coisa na vida que outro humano com QI médio executa se não for preguiçoso nem burro demais.
- tem que trabalhar em velocidade máxima 100% do tempo. Acredite, eu valorizo mais esses caras que qualquer funça da face da terra.
- provavelmente anseiam por galgar posições superiores pra fazer mais dinheiro e trabalhar menos. Esse é o objetivo da vida profissional. Ser mais pago com menos esforço é o que separa os espertos da massa. Aqui um adendo: na maioria dos empregos o chefe de nível médio acaba se estressando mais por ter mais responsabilidades. É importante observar isso pois tempo livre para desenvolver-se e executar hustles é importante. Nunca se enterre em um emprego sem saída.
- tomam mijadas dos clientes e chefes sem motivos óbvios. Quanto antes se notar que todo ser humano é um psicopata em potencial, melhor.
- não leva trabalho pra casa. Se trabalhar mais vai ganhar mais. Parece óbvio mas nunca ganhei hora extra e se tivesse trabalhado nisso as teria exigido em todos os meus empregos.
- provavelmente é o primeiro, e as vezes a única alternativa de dinheiro lícito que muita gente tem.

Antes que uma máquina substitua esse tipo de cargo, acho extremamente válido, principalmente pra quem tem o destino marcado pela "armadilha da classe média" que descrevi aqui no blog.

Os contras certamente são vários. Trabalhar servindo gente é foda. Mas quem não tem habilidades para conseguir algo melhor não tem porque pensar nisso.

Pra adultos já mais qualificados acho que não faz muito sentido fritar hambúrguer (a não ser que precise de um emprego, se for seu caso agarre o que for e FODAM-SE os outros). Os fast food são como um "turbo" de aprendizado pra quem não trabalhou ainda e precisa aprender a ética capitalista.

Se você é um jovem estudante e não tem habilidades capitalistas você precisa arrumar um emprego o mais rápido possível, e provavelmente você tem pouquíssimas opções. Você precisa aprender a SER PAGO quando sai de casa, assim como a alguns séculos os homens precisavam aprender a voltar pra casa com a carne das bestas selvagens ou morreriam de fome.

Tenho mais uns textos escritos do que ando pensando já para esta semana, fique ligado.

domingo, 12 de novembro de 2017

Psicologia - a pior profissão de todas.

Olá amigos, hoje vou abordar um tema extremamente polêmico. A psicologia como profissão, e fique a vontade para discordar. Meu texto contém apenas opiniões e impressões pessoais.

O estudo da psique tem aplicações em todas as áreas onde o ser humano está presente. Economia, administração, sociopolítica, esportes e até o combate militar são alguns exemplos.

Somos seres sociais, não vivemos bem sem uma interação saudável com o ambiente e outras pessoas, além de desenvolvermos problemas de ordem pessoal que precisam de atenção. É obrigação de cada um observar, buscar conhecimento e tratar dessas questões do momento em que se torna independente até o fim da vida. A questão que quero tratar é, qual o papel dos psicólogos nisso?

Penso que psicólogos clínicos só são defendidos por pessoas iludidas ou que tem preguiça de pensar, e por poderosas instituições que a usam como lobby para projetos coletivistas. Muito do que eles praticam não passa de esoterismo e não tem absolutamente nada de científico, e é chancelado pelos projetos de shadow government mundial.

Não sou adepto da "religião científica" mas devemos ser claros quando se busca ajuda psicológica. Você quer resolver problemas e não tentar qualquer coisa, até porque o psicólogo não responde caso não mude nada a condição do cliente, por exemplo. Você contrataria um profissional que nem sequer propõe resultados positivos e concretos? Eu não. Para nenhum problema que eu tenha, nunca.

Se um cara vai trocar uma torneira pra mim, exijo que ela funcione bem, ou não pago, porém o código de defesa do consumidor não afeta psicólogos. 

Este problema que a psicologia como profissão enfrenta desde o começo, e tenta resolver como qualquer profissão sem muita relevância para o mercado mas com bastante oferta de profissionais: com lobby, marketing e branding, criando a imagem de uma espécie de médico (o profissional mais respeitado e temido pela raça humana), detentora de um conhecimento além da compreensão pelas pessoas comuns, capaz de ler mentes e determinar as questões mais escondidas em sua mente. Se este é o caso, e me parece ser, não passa do mais completo bullshit.

O lobby dessa classe não deve ser ignorado, até porque eles pressionam políticos para que sejam absorvidos pelos sistemas de saúde pública, aumentando o gasto público e impostos pra quem não usa seu serviço.

Também me baseio em relatos inúmeros de amigos e conhecidos que frequentaram psicólogos e psiquiatras (estes sim são médicos e tratam da questão com outra ótica) que não mudaram em nada e em alguns casos até pioraram mesmo com acompanhamento de profissionais experientes. Duvido que não saiba do que estou falando mas uma rápida busca na Internet revela milhões de resultados onde se relata que o trabalho do psicólogo foi inutil. Muitos falam que o profissional fica lá sentado sem falar nada do começo ao fim da consulta enquanto suga seu dinheiro.

Bom, eu mesmo tive dez encontros com um psicólogo que o curso da minha universidade oferecia e achei que por ser de graça estava ganhando (na época eu não sabia que quando você não paga, o produto é você). O gajo era um professor doutor barbudo tipo Marx, com ar de sábio. As duas únicas palavras que ele disse nas dez consultas foram "oi" e "tchau". Certamente anotou tudo o que eu disse pra fofocar com os alunos e colegas. Se você acha que existe ética entre essas pessoas lembre que eles são apenas pessoas, com as mesmas características de qualquer um, e não semi-deuses. Pense nisso. Qual o objetivo de anotar qualquer coisa se ele nunca mais ia me ver na vida? Das duas uma: discutir sobre meu caso ou me deixar confortável, contando sobre minha vida para um cara inteligente e preocupado com seu belo tablet com capa de couro.

Além disso hoje não existe privacidade no mundo digital, e cada palavra que alguém escreve em um computador pode estar sendo anexada a um imenso banco de dados relativamente fácil de garimpar. Pense nisso também.

Caso você questione psicólogos sobre determinadas questões, é provável que escute a curta resposta: "não existe só psicologia clínica". O ar de mistério é importante para manter o poder de influência. 

Na questão do mercado de trabalho, este tipo de profissional faz muito pouco dinheiro. Pesquisei algumas médias salariais e quase caí da cadeira, por serem mentira. Tenho amigos pessoais formados em psicologia que simplesmente não tem clientes, e tiveram que mudar de ramo ou tentar salários baixos no mundo acadêmico alimentando a máquina, claro que pagando o ticket com um curso de mestrado e depois doutorado. Resultado: profissionais com mais 30, 34 anos de idade (alguns vindos de outro curso pois psicologia não tem matemática) sem experiência prática. Conheço psicólogos mais velhos da cidade do interior que vivi e todos matavam cachorro a grito. Não acho que tenha grana nisso. Mas andavam bem vestidos e ostentavam falso sucesso. Afinal ninguém contrata alguém fodido.

Experiência também é um fator a se considerar pelo cliente desses profissionais. Você acredita que seus problemas podem ser tratados por um rapaz de 22 anos recém formado? Na minha modesta opinião, não acho possível  que nem alguém formado em Harvard tenha autoridade pra tratar de um filho meu nessas condições. Pense nisso se você pretende se tornar psicólogo.

É preciso estudar por muitos anos para se tornar um bom profissional, e ao contrário do que muitos pensam, você precisará ser financiado pelos pais ou pelo governo. Não acredito que tenham muitos psicólogos que trabalhem de dia pra pagar o aluguel, as contas e a faculdade de psicologia, tornando esse curso bastante elitista.

Não importa o que digam, pra mim quem não trabalha nem paga contas não conhece o mundo real, portanto eu jamais consultaria psicólogos inexperientes em primeiro lugar. Acredito que a maioria das pessoas pensa parecido e isso prejudica ainda mais a carreira desses profissionais.

Como profissão,  psicologia clínica também é a mais esquerdista e desse fato não tem como fugir. Mais que professor de história. Psicólogos buscam adequar os clientes (os quais chamam de pacientes) à um padrão social de comportamento que consideram saudável (e isto muda de acordo com o tempo e sociedade). Se esta não é a definição mais pura de progressismo não sei o que é ser de esquerda.

Como exemplo pessoal, meus três amigos próximos psicólogos são totalmente esquerdinhas que parafraseiam Foucault, Deleuze, outros autores pedófilos e comunistas, e tem o Chomsky como uma espécie de Deus para justificar suas atitudes anticapitalistas e antiamericanas. Além de serem os primeiros a criticar o catolicismo em todas as oportunidades. Não sei até que ponto isso é estimulado nas universidades, mas o currículo do meu curso tinha uma boa dose de filósofos e cientistas sociais partilhados pelo curso de psicologia, todos de esquerda.

Alguns autores afirmam que a KGB infiltrou "comunismo" na prática da medicina através da psicologia, mas não vou me aprofundar nisso hoje. Basta perceber que muitos desses profissionais propagam a mente revolucionária,  são contra a família nuclear e veem o cristianismo como algo superado.

Falar sobre seus problemas para trazê-los à luz pode sim ser benéfico e o estudo da psique é muito importante. Nós não conseguimos influenciar aquilo a que ignoramos, e só conseguimos tratar condições se às identificarmos. Afinal como disse o Dutch (Arnold schwarzenegger) no filme Predator: - "se sangra pode morrer", acalmando seu grupo frente a um inimigo poderoso. 

Como profissão, psicologia seria minha última escolha. 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Oportunidades de ouro - Pai Rico Pai Pobre

Olá amigos, apenas uma anedocta rápida, e porque considero Pai Rico Pai Pobre o livro de finanças pessoais mais genial já feito.

Comentei a pouco em um post anterior que em 2014 "perdi" uma oportunidade bem lucrativa de investimento imobiliário. Na verdade ela não foi bem pra mim, apenas passou diante de meus olhos, mas eu podia ter entrado.

Estava lá em meu antigo trabalho e vi meu chefe receber um cara algumas vezes. No começo não dei a mínima mas depois o chefe começou a comentar o que o cara tinha ido conversar. Se tratava de um empreendimento imobiliário, uma espécie de condomínio pra ricos que ele estava desenvolvendo. Adquiriu uma grande área de terra e estava vendendo pra gente granuda, e o valor dos terrenos girava em torno de 150 mil bolivares brasileiros.

Não lembro direito mas acho até que ele nem era dono de porra nenhuma e estava captando um minimo de compradores pra poder tocar o projeto. Embrionário mesmo.

Fiquei interessado ao ouvir que "o dono da rede de lojas tal" já tinha comprado dois, além de outros famosos da cidade como jogadores de futebol. Foi na época que a Telexfree fechou e eu estava alerta com promessas de dinheiro fácil (nunca investi nessas merdas). 

Ocorre que o cara ainda estava desenrolando burocracias pra legalizar o empreendimento, poder abrir ruas e tudo mais, por isso o negócio era arriscado, mas também altamente lucrativo.

Quem investe assim é quem já tem dinheiro e não tem medo de perder ou deixar um tempo enrolado. O público desse tipo de negócio são grandes empresários, políticos e médicos, além dos caras espertos e "irmãos" de certas fraternidades. Muitas vezes tem uma carga alta de confiança nesse tipo de negócio.

É aqui que entra juntar dinheiro e construir uma reputação. Se você é pelado ou um "carpe", mas principalmente se é um escroto que ninguém quer por perto, boas oportunidades jamais surgirão. Pense muito bem nisso.

Hoje o local tem estrutura e a última vez que ouvi falar, os terrenos estavam sendo negociados por 500 mil. Foram centenas de milhares de reais criados em pouco tempo, e você não acredita no livro do Kiyosaki né... 

Isso ocorre em todo lugar à toda hora enquanto estamos em nossos empregos contando os dias pra receber e fazer nossos aportes lixosos.. Ou você acha que um vereador ou prefeito gasta uma caralhada de dinheiro pra ser eleito e receber um salário que nunca vai cobrir o que gastou apenas por amor?

Aqui você consegue identificar o motivo de certas opiniões minhas em relação à ética de trabalho. Você é jovem ou pelado? Trabalhe como louco, em qualquer coisa que conseguir e se qualifique o quanto puder. Abra seu negócio quando conseguir (não deu certo? Segue a vida) e se afaste de quem atrapalhar seus planos de riqueza, mesmo amigos ou namorada. O emprego nunca vai te deixar rico. O importante aqui é acumular o quanto for possível enquanto fica mais esperto. 

Esse chefe não comprou nada pois tinha trocado de casa a pouco tempo e ficou com uma divida grande. 

Meu avô mesmo descobriu essa fórmula nos anos 50, e fez esse tipo de coisa até morrer. Meus dois terreninhos no interior valem merreca, e portanto lembro de uma piada que ouvi de um tio de minha mulher: "se nós estamos bem imagina os ricos!".

Ser rico deve ser maravilhoso, pois eu nunca, jamais, vi um rico que desejava ser pobre. Por outro lado eu fui bem pobre e é horrível. 

Lucrar com imóveis é exatamente como lucrar com ações, se você leu Peter Lynch vai entender. Você passa a vida buscando acumular ativos de boa qualidade a um preço bom. Geralmente só precisa que um seja um "tenbagger".

Isso é diferente de poupar e rezar. Na verdade, outra tecla que nosso amigo Kiyosaki bate repetidamente é a de que desde 1971 (falando de USA) o governo imprime dinheiro mais rápido que você consegue poupar, então tem obrigação de criar valor, ou vai ficar pra trás invariavelmente. 

Qualquer um escreve um livro de finanças pessoais como os do Cerbasi. É fácil de ler, é o que as pessoas querem, ficar rico sem pensar = investir o excedente do salário em uma carteira diversificada. Mas como sabemos, tem que sobrar um mínimo bem gordo e isso não é pra todos.

Por outro lado o PRPP te exige estimular o "gênio financeiro" e dar um jeito de fazer dinheiro sem a ajuda de um vendedor de produtos financeiros. Você é o responsável, pagar sua obrigação fiduciária consigo mesmo como diz outro guru aqui do blog, Gene Simmons. Tem que pensar, e as pessoas não gostam disso.

Outra coisa, muitos devem ter lido isso e pensado: "passar a vida comprando imóveis? Como se fosse fácil comprar em um dia por 40 e vender em uma semana por 80. Eu ganho 1500 reais por mês". Esse é o modo de pensar limitado dos críticos do PRPP.

Surgem desculpas como "nos USA dá pra fazer, aqui não" - diz o cara que nunca foi na Caixa perguntar sobre imóveis de leilão.

Desculpe, não posso te ajudar nem fazer afagos no seu ego. Você tem que dar um jeito. Sua missão é juntar dinheiro, aprender, e se meter onde tem grana. Não seja um carpe, seja esperto, esteja sempre aprendendo e pense como caçador. Tenha um orçamento sempre positivo não importa o que aconteça e venda todos os passivos financeiros e bugigangas a ponto de seus ativos pagarem as contas, e depois os luxos. 

Este é o ensinamento do livro Pai Rico Pai Pobre, amigos. Ele só usa exemplos do mundo imobiliário pois até um macaco consegue compreender.

Por fim, o conceito mais básico do livro,  passar a vida adquirindo ativos e se livrando de passivos, é dito de forma direta, repetitiva e dura. Quando se é pobre é o que se deve fazer e ponto. Não tem bom senso, nem equilíbrio. É acumular ativos até sair da corrida dos ratos. As pessoas vão te dizer que isso é impossível e se você acreditar, garanto, não tem chance.

Keep hustling

Abraço.